quarta-feira, 24 de julho de 2013

"Eu aprendi a não construir opinião nenhuma em relação àquilo que se sente. Sentir pra mim é algo tão intenso, mas ao mesmo tempo tão inexplicável que provavelmente eu nunca conseguirei elaborar definições. O máximo que eu consigo, pretendo e quero, é sentir. Nada mais.

"Eu, tão oculta de mim e tão desafiadora pra ser descoberta. Eu e as minhas defesas. Eu e os meus labirintos. Eu e as minhas charadas."
"Estou perdida em mim. Portas estão sendo fechadas. Abismos sendo abertos. Há um barulho infernal, gritante. E chove, chove muito. Consigo ver o porque dói tanto. Sou devoradora de mim mesma."
"E que eu nunca me torne uma pessoa rancorosa, com mágoas e sem sentimentos bons em mim. Que eu nunca faça outra pessoa sentir o que eu estou sentindo. Que eu continue forte. Que eu não me perca em mim. Amém."
"Falo daquilo que cresce dentro da gente sem limites, se tornando tão grande que nos dá a sensação de que a qualquer momento iremos explodir. Falo de algo que provoca sensações inexplicáveis em nós..."
(Textos de Florisbella)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos donos de nossos atos , mas não donos de nossos sentimentos; Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; Podemos prometer atos, mas não podemos prometer sentimentos... Atos são pássaros engaiolados, sentimentos são pássaros em vôo. (Mario Quintana)

Páginas