terça-feira, 20 de janeiro de 2015

A puta que Ele pariu

A puta que Ele pariu
 E ela travestiu-se de puta... não apenas por fora, mas também, por dentro... e a Ele entregou o corpo que já não lhe pertencia mais.
Quem é ela? Ela é cheiro de cio, visão de desejo, expressão de prazer . Se Ele a faz de puta, puta ela é para ele .
Não importa quem ela seja ou tenha sido. Importa quem ela é agora. Importa o que ela é para ele e como ela é com ele.
Ela é aquela que se transforma a cada dia numa mulher mais liberada, tesuda e vadia como jamais foi e sempre desejou ser.
E deseja ser, para ele, a puta insaciável... aquela que se põe de quatro para ser fodida.
Quer ser aquela vagabunda de esquina... não aquela que se vende, mas sim a boqueteira de plantão, que fica feliz mamando o pau do seu macho.
E não se importa de ser o depósito de porra Dele, a puta de esquina, piranha de estrada, a vadia que o aguarda pelos cantos escuros para ter a boca fodida por ele.
É dona de um corpo vadio, que sequer lhe pertence... sua cara é para ele bater... vagabundas, como ela, gostam de apanhar na cara... sim, na cara, e não rosto ou face, pois estes são para as recatadas, ela apanha é na cara e  quanto mais apanha, mais safada fica, mais tesuda, vadia e desejada se torna.
Ela é a puta que abre as pernas, pedindo pra ser fodida, pra ser rasgada  e arrombada, porque toda puta é arrombada de tanto que é fodida por seu macho.

Seu corpo pertence a Ele... e o macho não pede, ele usa e abusa da sua vadia como quer, onde quer e sempre que quer.
Puta não tem querer, não tem vontades, puta serve pra foder! Serve pra ser usada em qualquer canto que seu macho queira fodê-la. Qualquer parede vira cama pra ela.


A boceta vadia está sempre molhada, tesuda, faminta, é tão gulosa que está sempre se abrindo em oferecimento... seu cu vagabundo, já viciado no pau que sempre lhe invade, pisca só de sentir a presença do macho... a boca se abre a espera da pica dura para fodê-la... e a vadia se baba, se mela toda... sussurra, geme, se contorce, grita de tesão... e goza! Goza com ele, goza pra ele! Goza como se não se houvesse amanhã.


E a cada gozo ela morre um pouco... morre para renascer ainda mais a puta Dele, toda Dele e apenas Dele.
Quem é ela? Ela é puta que Ele pariu! É o fruto do encontro de seus desejos. Gerada na luxúria, concebida no prazer de dar e receber prazer.
luah negra

sábado, 3 de janeiro de 2015

~*Rebeca*~



Encho a boca com putaria e sacanagem, mas não esqueço que sou feita de flores e sonhos. Adoro rosas e, de tanto adorar, tatuei um ramo lindo no meu braço e outro na perna. Sou feita de palavras belas e sentimentos puros. Por mais que a libertinagem role solta nas frases que escrevo, são os suspiros que me emocionam. É aquele momento que por mais que viva a mesma coisa, nunca mais vai repetir a sensação mágica que fez maravilhas dentro de um peito. Talvez só saiba falar do que sinto, do que se passa aqui dentro de mim. Talvez seja alienada pro resto dos assuntos e do mundo. Talvez não entenda do que gira e seja expert no que pára e continua. Talvez tantas coisas e talvez coisa nenhuma. Quem se aproxima de mim não ganha muito, mas recebe calor humano, convive com alguém de verdade e jamais uma enganação. Nunca soube ser misteriosa. Nunca soube esconder minhas emoções sem ninguém perceber que estou explodindo. Dizer amém e viver pra externar o que rola num coração, sempre foi minha marca. Nada diferente de outras zilhões de pessoas que vivem por aí e fazem o mesmo. Só que sou especial pra mim. Eu sei me namorar quando ninguém me namora. Eu sei inventar assuntos e converso comigo sobre qualquer tema que eu puxo. Eu sou tantas mulheres, tantas. Sou aquela que só fala putaria, até aquela que ama uma poesia. Eu sou aquela que diz que ama trepar alucinadamente, até aquela que faz amor com um simples olhar. Talvez eu nem seja nada disso e seja a imaginação do que quero ser. Talvez meus olhos comecem a enxergar mais, só pra minha boca calar.


(~*Rebeca*~ - Néctar da Flor)
Somos donos de nossos atos , mas não donos de nossos sentimentos; Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; Podemos prometer atos, mas não podemos prometer sentimentos... Atos são pássaros engaiolados, sentimentos são pássaros em vôo. (Mario Quintana)

Páginas