domingo, 26 de julho de 2015

De Corpo e Alma

Muito se fala em alma submissa. Fala-se por admirar, por desejar ter tal vivência, por desacreditar, pra ofender e fala-se até por falar.

Falar, com conhecimento de causa ou não, fala-se de tudo. O debate é livre para todos os assuntos.

Mas, sem vivenciar a experiência, como falar com propriedade sobre algo que precisa ser vivenciado, sentido ou, ao menos, desejado?  Nesse sentido, tudo que é dito tem pouca ou nenhuma razão de ser, é infundado.

Submissão de alma, alma submissa, entrega por necessidade da alma. Alma, alma, alma! Tudo que se refere a um prazer mais abstrato, como o prazer de servir, de obedecer, de agradar e o prazer em dar prazer, acaba sendo levado, pelos que não o praticam, para o campo do irreal, fantasioso, absurdo ou sobrenatural.

Fico me perguntando o porque desses prazeres causarem certa aversão em alguns.

Não é porque algo não me atrai ou porque não sou capaz de fazer igual ou melhor que vou em dedicar a provar que não existe para ninguém.

Talvez o problemas não esteja na tal da alma, mas sim na submissão.

O BDSM é vasto e variado, é impossível alguém se identificar com tudo que há nele. É natural que alguns estilos, praticas, vivências ou filosofias sejam amados por uns e ignorados por outros. Ignorado, sim; desqualificado, não .

A entrega do corpo é comum, desejada e apreciada por todos. Afinal, é ele que é usado, tocado, torturado e marcado. São os joelhos que se dobram, são as pernas que parecem bambear diante do Dominador, é a boca que responde 'sim, Dono' e é dela que saem os gemidos  de dor e prazer causados pelas mãos Dele. É o coração que dispara com uma palavra, um olhar e até com o silêncio Dele. Dos olhos brotam as lágrimas e das entranhas que escorre o prazer provocado por Ele. É o corpo que executa os comandos, que responde aos estímulos... O corpo fala, grita, implora, seduz... ele exprime as sensações, emoções, sentimentos... é ele quem carrega um coração cheio de amor e entrega.

O BDSM é toque, é cheiro, sabor, suor, carne, dor e prazer.  Até aí, tudo bem, qualquer um entende, aceita e pratica, mas, se passar disso já é coisa de outro mundo?

Por o coração numa busca, realização ou vivência, entregar-se com paixão é igualmente natural e real. Um coração apaixonado, coração em festa, coração submisso. Essas, entre outras colocações figurativas, são claramente entendidas por todos como estado afetivo, emocional e condição de entrega.

Dar sangue, suor e lágrimas para alcançar algo muito desejado é facilmente entendido como dar o melhor de si, como não medir esforços e mergulhar de cabeça para ir ao fundo de um objetivo.

Mas quando se fala em por a alma na entrega, logo vem o desdém, as distorções e o assunto é levado pro campo do sobrenatural, do irreal, fantasioso.

A necessidade de mitificar a entrega não superficial é tão forte que parece mais com uma campanha contra algo ameaçador que uma simples descrença.

Cada um pratica o que deseja e que é capaz, entrega o que tem e vai até aonde se permite, mas a incapacidade, limitação e superficialidade de uns não invalidam as vivências e os prazeres de outros.

Querendo ou não, duvidando ou não, a entrega por necessidade da alma existe, e não vem do além, mas sim de dentro.
Ela nasce do desejo, se alimenta do orgulho e do prazer de servir e se realiza em agradar.

luah negra_JH.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Estagiária do Prazer

Executando serviços burocráticos e sonhando com o corpo a corpo com o Chefe
Uma estagiária deve ser eficiente e discreta na execução de serviços burocráticos , tem que ter a confiança do chefe e isso é muito produtivo e gratificante .
Mas nem sempre ela pensa apenas na carreira , não. Essa eficiência toda é nada inocente . A verdade é que ela está é de olho no chefe...de olhos famintos em cima dele...super interessada em executar serviços corpo a corpo com o ele .
Um chefe como o meu , que cuida tão bem a sua secretária , merece tê-la ali , sempre à disposição , para lhe servir em tudo que ele desejar .
E quando digo tudo , é tudo mesmo ! De massagens relaxantes nos ombros à massagens nos pés . Isso e tudo mais que ele desejar .Tudo sem atrapalhar o serviço dele e sem esperar ele pedir .
Em dias de tensões maiores , pode ser necessário usar de talentos especiais para relaxar a tensa musculatura do chefe . Uma boa estagiária saberá exatamente o que fazer nessa hora . Não importa se ela tiver que ficar sob a mesa para relaxá-lo durante o expediente . Se acomodando entre as pernas dele dá pra fazer um serviço silencioso , limpo e eficiente .
Boas secretárias sabem como agradar seu chefe e cumprem sua tarefa com todo prazer e satisfação de vê-los sendo bem servidos , livres do estresse do trabalho .
luah negra

terça-feira, 21 de julho de 2015

Usada na Areia


 Delírio Tropical Sob a Luz do Luar 


Numa bela noite , o DONO  decide levar sua cadela para passear .
Coleira no pescoço e guia na mão , assim entraram no carro .  O destino era a praia , uma boa caminhada na areia seria relaxante para ambos .
A praia estava quase deserta . Ao longo da caminhada , apenas uns poucos casais namorando e
raros pescadores foram vistos .















Caminhada , brincadeiras nada inocentes , um cenário inspirador e tesão , muito tesão .

Em meio a esse clima , usando de todo direito e poder que tem , de usar e abusar dela , O DONO da cadela , que já se encontrava de quatro , pingando e exalando seu cio , segura-a pelos cabelos , levantando sua cabeça . Num simples gesto , dá SUA rola pra que ela mame .
Com a gula dos famintos e a sede de quem atravessou desertos , ela abocanha a rola que lhe foi posta na cara , suga , lambuza-se , embriaga-se . A baba lhe escorre da boca e da boceta .
Mas dessa vez , o leite de SEU DONO não será tomado pela boca . Chega de mamar .

A rola é retirada da boca , frustrando-a desse prazer . Seus cabelos não se encontram mais presos às mãos DELE .
E ali ela permanece , parada , tesuda , aguardando por um comando ou pelo próximo movimento DELE .
Aqueles poucos segundos lhe pareciam minutos , mas , sem demora , ELE contorna seu corpo e pára atrás dela . Novamente passam intermináveis segundos , até ela ser tocada na xota . Numa breve carícia , ELE desliza a mão melada de baixo para cima , repete os movimentos até lubrificar o cu da SUA puta .
Gemidos lhe escapam a boca , o cu contrai e volta a relaxar , e sua bunda , desejando e , já sabendo o que viria a seguir , empina-se ainda mais , oferecendo-se sem pudor ao seu macho .
E ELE consuma o ato , satisfaz SEU desejo selvagemente .
Rola no cu da vadia , dedo na buceta...corpos tesudos , gemidos no ar...desejos sendo saciados , e explode o prazer .
A Lua , cúmplice dos amantes , a tudo testemunhava...passiva , calada , ela apenas iluminava e guardava pra si o que dois corpos despudorados praticavam e mostravam a quem quisesse ver .




luah negra.
Somos donos de nossos atos , mas não donos de nossos sentimentos; Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; Podemos prometer atos, mas não podemos prometer sentimentos... Atos são pássaros engaiolados, sentimentos são pássaros em vôo. (Mario Quintana)

Páginas