segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Fazendo Hora Extra

Conto 
 http://umpoucodetudocomlaurinha.blogspot.com.br/

 Fazendo Hora Extra 
O expediente no escritório havia terminado . Quase todos os funcionários já se encontravam fora ou de saída .
Ela , porém , não poderia sair enquanto seu chefe permanecesse lá , sua função era de deixar a sala organizada para o dia seguinte . E isso apenas poderia ser feito após a saída dele , restava-lhe esperar . E ele não pretendia sair antes de por toda uma papelada em ordem .
Era uma estranha relação a deles . Na verdade , a relação , propriamente dita , era de trabalho , entre secretária e chefe . Nada mais havia entre eles , além de um um forte desejo , um desejo tão forte que eles sequer tentavam conter .  
Ele exercia um estranho fascínio sobre ela , mais que isso , ele a dominava , possuía ...Ele era chefe da secretária e senhor do objeto sexual que ela se tornara para ele . Funcionava bem assim , sem promessas , cobranças , sem amarras...Eles apenas se entregavam ao prazer .

Sentado à sua mesa , ele tratava de adiantar o serviço , estava concentrado em seus afazeres .
E ela , ainda sem ter o que fazer  , observava-o trabalhar. 
Silenciosa , porém , um tanto agoniada , ela trocava de lugar incessantemente . Ela ia de um lado para o outro sentava , levantava , ia à janela ...não conseguia parar quieta .
O desassossego seguiu até acomodar-se em uma almofada no chão e posicionar-se de forma a poder admirar o chefe . Assim permaneceu , por algum tempo . 
Seus olhos passeiam pelo corpo que ela desejava tocar , seus pensamentos viajam...
Ela imaginava-se afagando-lhe os cabelos , massageando seus ombros , sentindo seu cheiro... ela chegava a fechar os olhos e suspirar ao se imaginar praticando tais carícias . Desejava tocar nele , ser tocada , deslizando as mãos pelos braços , peitos , abdome , em tudo que estivesse ao alcance delas . 

Enquanto era devorado em pensamentos , ele parecia nada perceber , permanecia totalmente concentrado em suas tarefas .
As mãos dela começavam a seguir seus pensamentos , elas deslizavam pelo próprio corpo . Continuou até ser interrompida por um som vindo da mesa dele. 
Parecia o som de uma batida na mesa .  Seu olhar volta-se para ele...
Surpresa e ainda sem esboçar reação , ela aguarda silenciosamente que ele se pronuncie . Seus únicos movimentos vinham da respiração ofegante . O coração acelerava , tanto que as batidas pareciam até poder chegar aos ouvidos dele . E tudo mais era mais silêncio , o ar parecia estar parado , pesado , quase sufocante .
E , assim , foi até outro som despertar sua atenção . Dessa vez , ela podia ver de onde vinha e o que significava ...era o som das palmas da mãos dele batendo nas coxas . 
Não havia mistério no olhar , nem severidade na expressão . Era um gesto convidativo , com um olhar firme , era o chamado que ela esperava . 

Sua boca quase podia sentir o sabor daquela rola invadindo-a  . Nunca fora tão bom devorar um pau , nunca sentira em sua boca o sabor de uma carne tão apreciada como a dele . Ela pensava na mistura de sabores do mel que goteja dele com a saliva que se forma em sua boca faminta de carne pulsante , sedenta do néctar que tão bem a alimenta .
Movida pelo chamado e entregue aos pensamentos excitantes , ela não exita , segue logo em direção à mesa , para acomodar-se aos pés dele . 
O local onde ela se encontra é privilegiado e seus desejos são dos mais pervertidos...
Enquanto caminha de quatro , ela sente o roçar da boceta nas coxas , sente a umidade que se forma e o latejar das entranhas...
Já sob a mesa ,  aninhada entre suas penas dele , seus sentidos de cadela se aguçam...Narinas a farejar , boca a salivar , faminta , sedenta , está ávida por saboreá-lo .
Antes , porém , ela se posiciona para uma relaxante massagem nos pés dele .Tira-lhe os sapatos e põe-se a massagear . 
Ela sabe o quanto ele aprecia ter seus pés massageados . Atenciosamente , cuida deles , assim , até que o chefe fique satisfeito.
Só então põe-se a tocá-lo à vontade .  Ajoelhada entre as pernas dele , ela repousa o rosto em seu colo , sente a rigidez do membro ainda guardado pela roupa ., cheira , toca , saliva , baba... deseja tê-lo entre as mãos , sentir seu pulsar enquanto o aperta ...
Descansando a cabeça em seu peito , ela abre o seu cinto e o zíper que os separam e ,finalmente , pode segurá-lo firmemente ...seu corpo desliza para baixo até que os joelhos toquem o chão e sua boca ali , bem diante do pau que salta de dentro da cueca ...
Antes de abocanhá-lo , ela alterna entre pequenas lambidas e beijos na cabeça , assim saboreia o néctar que dela escorre ... ela ainda esfrega o rosto nele , esfrega os seios ,  coloca-o entre eles , com movimentos de vai-e-vem ela o aproxima e afasta da boca , aproveita para lamber e beijar a cabeça do pau . 
E se delicia com aqueles toques em seu corpo , só então o abocanha com toda fome e prazer .

E ele , que até então mantinha-se concentrado em seus afazeres , permitindo que ela se deliciasse à vontade com seu pau , passou a ocupar uma de suas mãos para controlá-la .
Segurando-a pelos cabelos , ele forçava o pau até sua garganta , fazendo-a engasgar até quase sufocar , ele então parava , esfregava seu rosto no pau e voltava a foder-lhe a boca com um tesão brutal .
Seus olhos lacrimejavam com o misto de ânsia e prazer , as lágrimas que dela escapavam , misturavam-se à saliva , ao néctar daquele membro tomado pelo tesão e lambuzavam seu rosto...
Ela estava humilhada e , mesmo não conseguindo ver a expressão no rosto dele , ela sabia do prazer que aquilo proporciona a ele ...isso a deixava ainda mais excitada .


Ainda longe de estar saciada , ela se afasta da mesa , põe-se nua e de quatro à frente dele . Empina a bunda ao máximo , oferece-se a ele para um uso mais profundo...
Ele compreende o pedido e , generosamente , concede a ela mais esse prazer .
Deixando sua a mesa , ela aproxima por trás dela...começa retirando o paletó e o lança ao sofá . Segue retirando a gravata , essa mantem-se nas mãos dele...não por muito tempo . Logo , ela estará vendando aquela que se ali se encontra à espera de receber os carinhos dele . 
Com ela já vendada , ele dá início aos trabalhos . Começa amaciando amaciando , com leves palmadas , a carne que alimentará seu sadismo . Esse é apenas o aquecimento . Habituada a todo o peso da mão dele , ela aguarda para senti-lo com toda intensidade . E a mão não demora a pesar...fortes golpes são desferidos . Os gemidos que os acompanham , soam , aos ouvidos dele , como agradecimentos pelo prazer do uso . 
Ambos desejavam mais...Quanto mais ele batia , mais ela empinava a unda , mais a boceta melava , e mais ele saboreava aquele prazer . 
Aquela carne já estava aquecida o suficiente...era hora de usar o cinto . Mas , não sem antes amordaçá-la .

Da mesma gravata que servia de venda , foram usadas as pontas para conter-lhe os gritos ou súplicas . Ele não desejava ouvir um só pedido , queria vê-la suportando calada toda a dor que recebesse .         
E ele não teve dó , golpeou-lhe a bunda sem clemência .  
Diferentemente de antes , sua bunda não mais se empinava . Os golpes pareciam cortar-lhe a pele...
Ela urrava abafado, chorava por dentro , encolhia-se , tentava se esquivar de todo modo...mas , de tudo , restou-lhe apenas implorar ,  ainda que apenas em pensamento , que a tortura tivesse fim .
Ele , por sua vez , saboreava o momento , deliciava-se ao vê-la mergulhada em agonia  prazer .
Para ele , aquele misto de sensações , em que ela se encontrava , era natural e esperado . Antes dela , tantas outras já haviam sido levadas a esse estranho mundo , onde dor e prazer revesam-se , fundem-se , provocando sensações diversas . 
Para ela , porém , era tudo ainda muto novo , incompreensível e , até , perturbador .
Mas ela não precisasse entender , bastava entregar-se ao prazer .

Depois de surrá-la o quanto quis , ele verifica o resultado dos açoites . Acariciando suavemente , sente os vergões e o calor da pele . Está perfeito , diz ele a si mesmo . 
A mão passa , então , a percorrer as costas até chegar a altura da nunca , ali , ele a força em direção ao chão . 
Ela resiste , fazendo força contrária , tenta , em vão , permanecer na posição atual . 
Mas ele a quer de rosto no chão e as partes mais íntimas totalmente a mercê do seu prazer . E , assim , ela é posta .
Ele , então , põe-se a abusar daquelas entranhas famintas por uso . 
Sua mão desliza pelo mel que lhe escorre . Ela se contorce , seu sexo pulsante contrai-se de forma a quase sugar a mão que o acaricia .
Ela sentia a boceta sendo invadida , tomada pela mão dele...sentia-se deliciosamente arrombada .
Aquilo era céu e inferno de sensações , tormentos e prazeres ,  tesão e gozo . 
Dando-se por satisfeito e , vendo-a já em êxtase , ele contorna aquele corpo cansado  de apanhar , gozar e quase sem forças para se manter de quatro  . 
De posse de um bom punhado de cabelos , ele ergue , do chão , a cabeça e o peito daquela que lhe servia de objeto de prazer e , em seguida , desamarra da gravata , apenas parte  usada como mordaça . 
Ela continua vendada e alheia ao que acontece à sua volta  , não imagina o que ainda pode acontecer .
A boca está livre , porém, não por muito tempo . Sai a mordaça e , imediatamente , entra a rola . 
Embora fosse um prêmio sentir aquela rola rígida , pulsando de tesão em sua boca , sequer deu tempo de livrar-se de toda a baba que lhe molhava o rosto , os cabelos e até o chão , nem mesmo teve tempo de pronunciar algo  ou pronunciar algo . 
Nada mais podia ser feito a não ser deixar a boca ser usada como depósito para porra dele.
Sua cabeça era puxada e afastada seguidas vezes ,  estava sendo fodida . Ela o sentia a garganta , engasgava , lacrimejava , e voltava a ser fodida da mesma . 
Ao fim , ele manteve a rola no fundo daquela boca e ali depositou sua porra . Apesar do engasgo , ela nem precisou engolir , o líquido desceu naturalmente por sua garganta  . 
Depois de verificar se nada mais restava ali dentro ,  a venda é retirada e ela dispensada para se recompor .

E ela seguiu toda lambuzada , dolorida , humilhada , usada e abusada e , principalmente , feliz ... feliz por ver a satisfação estampada na face do chefe , feliz por ter tomado sua porra pela primeira vez ,  feliz por secretariar , deliciosamente , o prazer dele !  


Exibindo




luah negra.

6 comentários:

  1. Olaa tudo bem???

    Adiciona meu blog na sua lista de favoritos?
    www.prazeresefantasias.blogspot.com

    Ja adicionei seu link no meu blog, espero uma visita e a parceria!

    ResponderExcluir
  2. Olá , Eros Fantasias !
    Parceria aceita e já está adicionado .
    Seja bem-vindo .

    ResponderExcluir
  3. O prazer da dominação é deliciosamente envolvente.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  4. Olá , Cadinho Roco !
    Seja bem-vindo .
    Sim , deliciosamente envolvente como o prazer da submissão .
    Grata pela visita e comentário , Sr .

    ResponderExcluir
  5. nada melhor que umas horas extras ;)

    bj doce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá ,SinneR...
      Altamente relaxantes essas horas extras , né ?!
      Obrigada pela presença sempre muito bem-vinda .
      Beijos .

      Excluir

Somos donos de nossos atos , mas não donos de nossos sentimentos; Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; Podemos prometer atos, mas não podemos prometer sentimentos... Atos são pássaros engaiolados, sentimentos são pássaros em vôo. (Mario Quintana)

Páginas